Explorar Objetos · Museu Virtual da Educação, Cabo Verde

Procurar usando este tipo de interrogação:



Procurar apenas estes tipos de registos:

Objeto
Ficheiro
Coleção
Página Simples

Pesquisa avançada (apenas objetos)

  • Espaços e Equipamentos (LP)

Os Paços do Concelho, em 1860, receberam obras de «melhoramentos na escada, sobre a qual se construiu uma torre em que foi colocado o relógio» (Pereira, 2011, p. 66) e, em 1861, alojava o Liceu Nacional da Província de Cabo Verde. A Portaria nº 313-A, 15 de Dezembro de 1860, que criou o primeiro liceu de Cabo Verde, determinou:  "1º Ficam estabelecidas na Cidade da Praia, e reunidas em um mesmo edifício para esse fim adequado, as seguintes Cadeiras já existentes: Ensino Primario - Latim - Philosophia Racional e Moral - Theologia - às…

Por decreto nº 40.198, de 22/6/1955, foi criado na cidade da Praia, uma Secção do Liceu Gil Eanes (Mindelo), tendo em conta que “o liceu de S. Vicente não comporta já, nem pelas suas condições materiais, nem pela dotação de meios discentes, a população que o procura”, particularmente, porque “a ele ocorrem estudantes não só da ilha em que funciona, e de todas as de Barlavento, como as de Sotavento” (Boletim Oficial nº 29, de 16 de Julho de 1955). O estabelecimento de ensino liceal foi instalado numa casa arrendada a…

Um ano após a instalação da Secção do Liceu Gil Eanes na Praia numa casa particular, o Boletim de Propaganda e Informação anunciava que os trabalhos de construção do grande edifício para as instalações do Liceu, se tinham iniciado no dia 23 de Fevereiro “com grande contentamento geral” (Fevereiro, 1956, p. 30). Em Julho de 1960, a Secção do Liceu Gil Eanes foi transferida para o novo edifício, que acolheu condignamente o ensino liceal na cidade da Praia.Por decreto nº 43.158, de 8 de Setembro desse ano (Boletim Oficial, nº…

Os modelos em 3 domensões do edifício do Liceu Domingos Ramos foram realizados no âmbito das actividades do LED - Laboratório de Ensino a Distância, da Universidade Jean Paiget, Cabo Verde.

Na época colonial, o ambiente escolar estava impregnado de signos de doutrinação – em murais e nos compêndios escolares – que difundiam “a verdade nacional, isto é, a verdade que convém à Nação” (M. M. Carvalho, 2001, p. 80). Através do recurso a “uma linguagem profusamente valorativa, por vezes anacrónica, quase sempre absoluta, e apoiado numa leitura subjectiva e instrumental da história, o discurso oficial do Estado Novo glorifica um certo passado do povo português (a fundação da nacionalidade, os descobrimentos, a…

O edifício era constituído por “20 salas de aula, (...) uma biblioteca, uma sala de música, um laboratório de ciências naturais e um laboratório de físico química, para além de sanitários para professores e balneários para alunos" (Carvalho, 2003, p. 6).Lourenço Gomes, na tese Urbe, memória e crítica de arte: Centro Histórico da Praia – Extremo Sul (de 1840 à actualidade), refere-se à imponência dos corredores, pela sua extensão e altura e às salas de aulas, que apresentam estrados de madeira, "espelhando a filosofia da…

O fim do ano letivo 1959/60, na Secção do Liceu Gil Eanes, na capital da colónia, coincide com a inauguração do edifício do liceu da cidade da Praia. O Liceu da Praia foi criado, três meses mais tarde, pelo Decreto nº 43.158, de 8 de Setembro de 1960.No âmbito das comemorações dos centenários da morte do Infante D. Henrique e do achamento de Cabo Verde, no dia 10 de Junho de 1960, “teve lugar a inauguração do edifício do Liceu a que afluiu tão grande multidão que, durante horas foi difícil, se não impossível, penetrar…