Procurar usando este tipo de interrogação:



Procurar apenas estes tipos de registos:

Objeto
Ficheiro
Coleção
Página Simples

Pesquisa avançada (apenas objetos)

Carteira dupla



Ficha Técnica

Número

EP/EEQ/003

Designação

Carteira dupla

Nível de Ensino

Ensino primário

Descrição

Carteira rígida de dois lugares constituída por uma mesa e uma cadeira ligadas. O  tampo da mesa é composto por uma parte fixa com uma canelura, onde os alunos colocavam os lápis e as canetas e uma prancha inclinada para o ato da escrita. Sob o tampo existe uma estante onde oa alunos guardavam os materiais escolares.
Há testemunhos de escolas mal equipadas em Cabo Verde, com "bancos velhíssimos flanqueados por uma esburacada carteira que, pela sua feição antidiluviana e descomunal mais parece um grande esquife do que um móvel escolar" (O Futuro de Cabo Verde, 11 Junho 1916).
Consultar:
Galeria - imagens de carteiras duplas; requisição e nota de forneceimnto de mobiliário escolar. Documento - Noticia de uma sala com bancos velhíssimos ladeados por uma carteira esburacada.

Material

Madeira de mogno

Dimensões

Altura: 77 cm; largura: 104  cm; profundidade: 79 cm

Fabricante/Autor

Desconhecido. Fabrico artesanal.

Proveniência

Escola Primária do Paiol, Praia. Acervo da Associação para a Promoção do Património Educativo e Cultural - ASPPEC.

Local (Exposição)

Sala de Exposições da ASPPEC, Escola Grande, Uni-CV.

Estado de Conservação

Razoável

Bibliografia

Cabo Verde Boletim de Propaganda e Informação, nº 103, Abril 1958, p. 29.
Castro, Xavier de Souza (2009). Da cadeira às carteiras individuais. Entre mudanças e permanências da materialidade da escola primária. SC: Florianópolis. (Dissertação de mestrado).
Janeirinho, Luisa (Org.) (2002). Museu da escola. Um património comunitário. Ministério da Cultura. Delegação Regional da Cultura do Alentejo.
Nota de 21 Fevereiro 1918, Administrador do Concelho, Vila Ponta do Sol. Cxª 665, Fundo Arquivístico SGG, Arquivo Histórico Nacional.
O Futuro de Cabo Verde nº 163, 11 Junho 1916, p. 3.
Silva, Carlos Manique da (2002). Escolas belas ou espaços sãos? Uma análise histórica sobre a arquitectura escolar portuguesa 1860-1920. Lisboa: Instituto de Inovação Educacional.

Investigador

Maria Adriana Sousa Carvalho.

Observações

Em Cabo Verde, nas salas de aula predominavam as carteiras duplas. Segundo Buisson (1887) "É a mesa de dois lugares que obteve preferência geral. A vigilância do mestre sobre o trabalho dos alunos exerce-se com maior facilidade, e com a distância nula ou a distância negativa, o aluno encontra na passagem lateral, que tem pelo menos 50 cm, um sítio para se pôr em pé quando interrogado" (Silva, 2002, p. 132).

Documentos

Geolocalização

Partilhar