Instalações da Secção do Liceu Gil Eanes na Praia · Museu Virtual da Educação, Cabo Verde

Procurar usando este tipo de interrogação:



Procurar apenas estes tipos de registos:

Objeto
Ficheiro
Coleção
Página Simples

Pesquisa avançada (apenas objetos)

Instalações da Secção do Liceu Gil Eanes na Praia



Ficha Técnica

Número

LP/EEQ/002

Designação

Instalações da Secção do Liceu Gil Eanes na Praia

Nível de Ensino

Ensino liceal

Descrição

Por decreto nº 40.198, de 22/6/1955, foi criado na cidade da Praia, uma Secção do Liceu Gil Eanes (Mindelo), tendo em conta que “o liceu de S. Vicente não comporta já, nem pelas suas condições materiais, nem pela dotação de meios discentes, a população que o procura”, particularmente, porque “a ele ocorrem estudantes não só da ilha em que funciona, e de todas as de Barlavento, como as de Sotavento” (Boletim Oficial nº 29, de 16 de Julho de 1955).
O estabelecimento de ensino liceal foi instalado numa casa arrendada a Sérgio Barbosa Mendes, pela quantia de 2.250$00 mensais (Orçamento da Secção Liceal, in Boletim Oficial, de 31 de Dezembro de 1958).
O edifício de dois pisos, com cobertura de telha marselhesa a quatro águas, foi analisado por Lourenço Gomes, na obra Urbe, memória e crítica de arte: Centro Histórico da Praia – Extremo Sul (2011, pp. 342-344): “A casa possui no rés-do-chão três portas: duas próximas dos cunhais mais estreitas e mais baixas com as respectiva partes superiores a terminar em arco quebrado, sem lumes e a porta central, mais larga, mais alta, com a sua cimalha concebida em arco abatido (…). O primeiro andar deste edifício patenteia duas portas-janelas estreitos unidos por uma fina coluna. Terminam em arco redondo com lumes à semelhança da porta a que estão sobranceiros evidenciando assim uma certa harmonia e dão acesso a varanda aplicada com corrimão de ferro. Ladeiam essas aberturas centrais três portas-janelas de sacada com grades à frente e dotadas de duas bandeiras também com lumes em cada flanco, formando mais seis aberturas, dispostas de forma simétrica em relação ao eixo central do edificio”.
Consultar:
Galeria - Fotografias do edifício e da cerimónia de inauguração da Secção do Liceu Gil Eanes na Praia. Documentos - Apreciação das instalações pelo Vice-Reitor (Relatório 1955/56) e depoimento de uma aluna da Secção liceal.

Data

A porta do edifício (rua do Fontes) regista a data 1889. A Secção do Liceu Gil Eanes funcionou neste edifício entre 1955 e 1960.

Localização

Praça do Albuquerque, cidade da Praia, tendo também frente para o Beco do Cônsul (Rua do Fontes) (Oficio nº 81, Fevereiro 1889, Governo Geral da Província de Cabo Verde, Arquivo Histórico Ultramarino, Cxª 157. In Gomes, 2011, p. 339).

Estado de Conservação

Bom

Bibliografia

Carvalho, Maria Adriana Sousa (2006). A memória educativa recuperada no Cabo Verde Boletim. Praia: Centro Cultural Português / Instituto Camões.
Carvalho, Maria Adriana Sousa & Gomes, Lourenço (Orgs) (2013). Memórias do Liceu da Praia. Praia: Edições Uni-CV.
Carvalho, Maria Adriana Sousa (2013). O Liceu Gil Eanes expande-se para a Praia [anos cinquenta do século XX]. Praia: Edições Uni-CV. In Carvalho, Maria Adriana Sousa & Gomes, Lourenço (Orgs). Memórias do Liceu da Praia. Praia: Edições Uni-CV, pp. 71-121. Gomes, Lourenço (2011). Urbe, memória e crítica de arte: Centro Histórico da Praia – Extremo Sul (de 1840 à actualidade). Praia: Edições Uni-CV.
Pereira, Ana Mafalda Gomes Furtado (2011). Catálogo da Exposição. A Praia de Lobo de Gama e Duarte Fontoura: Principais transformações (1567-1974). Praia: Instituto do Arquivo Histórico Nacional.
Relatório do Vice-Reitor da Secção do Liceu Gil Eanes na Praia, ano 1955/56, Fundo SGG, AHN, cxª 245.

Investigador

Maria Adriana Sousa Carvalho

Observações

Neste edificio, no inico do século XX, estava alojada a casa comercial Serra & Oliveira & Cª (rés-do-chão) e o Hotel Club (1º andar).
Nos anos 40, o prédio foi comprado por Sérgio Barbosa Mendes, que ai instalou uma casa comercial. Conforme a Nota Biográfica da autoria de Jorge Sousa Brito:  “Por escritura lavrada na cidade da Praia em 15 de Abril de 1944 e tendo como sócios o seu irmão Olívio Barbosa Mendes, o seu primo Luís do Quental Barbosa Vicente e António do Carmo Conceição, constituiu a sociedade comercial SERBAM, LIMITADA (sigla formada com as iniciais do seu nome e que quase que se transformou na sua alcunha). (…) A Casa Serbam foi inovadora e inaugurou na Praia, na década de setenta e já depois da morte do fundador, as primeiras Galerias de Cabo Verde”.

Documentos

Partilhar